Autor

Meu nome é Gabriel Luis de Oliveira, casado, sem filhos, trabagabriellho com marketing e tecnologia e, desde muito cedo, me interesso por estudar o legado de antigas civilizações da história.

O crescimento da internet em todo mundo facilitou muito o acesso à informação, mas isso não significa que as pessoas ficaram mais cultas, ao contrário, o excesso de informação acabou criando uma barreira que afastou o ser humano do seu próprio autoconhecimento.

Hoje, questões básicas como quem sou, de onde vim e para onde vou não são abordadas nas escolas e o próprio conhecimento das coisas acabou se resumindo em uma série de conceitos prontos que tomamos emprestados para ter uma “opinião formada” sobre tudo.

Essa banalização do conhecimento faz com que tenhamos um entendimento cada vez mais superficial sobre as coisas e uma dependência cada vez maior de toda espécie de tecnologia ou recurso que nos tire a atenção de nós mesmos ou do mundo que nos rodeia.

O resultado disso tudo é uma geração que não aprecia mais um pôr do sol, que reclama quando chove, que sempre tem uma resposta pronta na ponta da língua e que muitas vezes não tem um propósito claro para sua vida.

A simplicidade é o último grau de sofisticação“. Com este pensamento, Leonardo Da Vinci, que se intitulava discípulo da experiência, observava atentamente cada pequeno fenômeno da natureza e buscava, em seu estudo, inspiração para compreender os mistérios da vida e deixar o mundo um pouco melhor do que o encontrou.

Queria ter sido mais útil ao longo de toda minha vida“. Esta foi a última frase pronunciada por Da Vinci em seu leito de morte, após ter escritos mais de 8.000 páginas de estudos sobre a observação da natureza em diversas áreas do conhecimento como física, botânica, anatomia, arte, matemática, música e filosofia, para citar algumas.

Qual legado estamos deixando neste mundo? De que forma seremos lembrados? Que conhecimento levaremos para além desta vida?

Para responder a estas questões, nada melhor do que aprender com quem já esteve por aqui e viveu essa vida de forma plena e admirável. De todos os grandes homens que inspiraram a humanidade, Leonardo Da Vinci foi, para mim, um dos mais célebres. Entender a sua obra e as suas motivações são é uma forma de resgatar esse interesse genuíno pela vida e de querer ser melhor a cada dia.

E você, o que espera da vida? Convido você a fazer esta viagem pelo pensamento de Da Vinci e descobrir como as suas reflexões estão intimamente ligadas aos ensinamentos herdados por grandes pensadores de toda história e como sua filosofia de vida nos ajuda a aplicar estes conhecimentos de forma prática e transformadora em nós mesmos.

Tenho certeza de que, após estudar algumas das obras e manuscritos deste grande mestre renascentista, você não será mais o mesmo, pois, como dizia Einstein, “uma mente que se abre para uma nova ideia, jamais volta ao seu tamanho original“.

Boa jornada!